E-mail marketing | Evipes Blog

E-mail marketing

Marketing Digital

Blog

Quando falamos a palavra e-mail, parece algo do passado não é? Com tantas novas tecnologias e formas de se relacionar com o seu público, muita gente se pergunta qual o papel do e-mail marketing dentro das estratégias de vendas, seja como afiliado ou produtor.

Mas você sabe realmente para que o E-mail Marketing serve? Como construí-lo? Como trazer vendas com ele? É preciso ter todas essas informações antes de acreditar que ele está velho demais para ser usado. A verdade é: ele nunca esteve tão em alta!

O que é?

O e-mail marketing é uma estratégia usada pelo marketing para estreitar o relacionamento com seus clientes e potenciais clientes. A ideia é enviar os conteúdos certos para cada tipo de lead da sua lista, e através disso, converter em vendas. Se tornando uma ótima estratégia para enviar tráfego ao site e lucrar.

Afinal de contas, e-mail marketing morreu?

Percorre por aí que o e-mail marketing tenha perdido sua força com a chegada forte das redes sociais dentro das estratégias de vendas. É inegável que as redes são um ótimo recurso para conversar com o público, apresentar conteúdos, fidelizar o cliente e finalizar vendas. Mas nada ainda tira o papel personalizado do e-mail.

Se para sua marca os e-mails não têm trazido resultados, está na hora de se perguntar: eu estou fazendo isso direito? Essa estratégia é muito eficaz, desde que seja construída de forma correta.

Ainda não se convenceu?

Pense o quanto um mailing (lista de e-mails cadastrados) é só sua. Você tem ali os dados dos seus clientes e potenciais clientes só para você. Com ela em mãos, é possível se comunicar com eles de forma única. É possível trabalhar os leads para entender em qual estágio do funil cada um está e enviar para ele exatamente o que ele precisa para trilhar o caminho da compra.

E o mais interessante, essa lista está sempre em constante construção e evolução. Se você mantê-la atualizada e disparar os conteúdos certos para cada um, a chance de trazer resultados positivos é muito grande.

Outra coisa, quando você envia um e-mail para o potencial cliente, ele não vai perder de ver em 24 horas. Ele não compete em nenhum feed com um monte de outras marcas. A competição é dentro da caixa que ele mesmo escolheu receber – numa escala bem menor que nas redes sociais. Então enquanto ele não abrir, o e-mail ficará lá a espera dele. Por isso, a importância de saber colocar no “assunto” frases que se destacam na multidão e falem exatamente da dor de quem está recebendo.

Você pode também enviar conteúdos maiores, não há uma restrição grande de caracteres. Conteúdos mais profundos e longos podem fazer parte, se esse é o perfil do seu lead. A linguagem estabelecida precisa fazer sentido com a sua persona – nunca se esqueça.

Ah, sem contar a personalização dos e-mails para cada tipo de cliente. As ferramentas de e-mail marketing oferecem a possibilidade de você criar segmentações dos seus leads. Colocando indivíduos que possuem o mesmo perfil (interesses, comportamentos, onde acessou no site, idade, cidade etc) e mesmo estágio do funil, juntos. Assim você envia o conteúdo específico para cada pessoa e tem muito mais chances de resultados positivos.

Ainda nesse ponto, você pode criar uma automação de e-mails. Um exemplo é: o potencial clicou na sessão de tênis no seu site e se cadastrou na lista. Quando ele entra naquele setor, você deixa preparado que automaticamente ela receba 5 e-mails em um intervalo de 4 dias de forma personalizada. Pensando apenas no conteúdo que seja específico do que ela parecia estar procurando. Percebe o quanto entregar o que eles procuram aumentam as chances de vendas?

Não podemos esquecer o tom pessoal que o e-mail tem. Se você utilizar de um texto personalizado, em primeira pessoa e com uma linguagem menos formal, você cria um relacionamento muito mais próximo com o potencial cliente. Não é como nas redes sociais que todos os posts são feitos para um monte de gente. Quando nos sentimos “únicos”, aquilo faz mais sentido para nós. Isso conta muito em uma decisão do que comprar.

Testes e resultados! O e-mail marketing é mestre nisso. Melhor lugar para ir testando a linguagem e o que chama mais atenção do seu público. Dá para testar o “assunto” e conteúdo do e-mail em testes A/B. Dá para testar enviar o mesmo tipo de conteúdo com assuntos diferentes. Dá para testar tudo. E no final, você colhe os resultados sabendo qual teve mais taxa de abertura, mais cliques e qual foi o caminho até a compra. Desta forma fica mais fácil ir encontrando a fórmula que dá mais resultados.
Para você entender de vez que não, o e-mail marketing não morreu, pesquisas dizem que essa estratégia é a mais lucrativa de todos os canais de comunicação online. No qual, por exemplo, cada 1 real investido é possível ter um retorno de até 38 reais.

Como fazer e-mail marketing?

Agora que você entendeu que o e-mail marketing não morreu, e pelo contrário, está vivinho da silva, você precisa saber como fazer. A estratégia vai depender muito da marca, o tipo de público e qual o seu objetivo final.

Ferramentas de e-mail marketing:

O primeiro passo é encontrar um software que te auxilie na criação de listas e campanhas de e-mail marketing. Existem diversas ferramentas por aí, vale pesquisar e ver qual melhor atende ao que você precisa. Um dos nomes mais conhecidos e indicados são Mailchimp (ótimo para quem está começando e tem versão gratuita e paga) e RD Station (uma das mais completas do Brasil atualmente).

Encontre o seu público:

É preciso definir o local que os potenciais clientes serão capturados para você ter uma lista, jamais pense em comprá-las prontas. Você precisa falar com o seu público e quem quer ver sua marca. Você pode captar os leads através de formulários no site, anúncios no Google ou em redes sociais (Facebook, Instagram, Blog etc). E sempre ofereça algo em troca do cadastro, seja um e-book ou um desconto.

Segmente seu público:

Depois da captação de leads, você terá a sua lista de e-mails. A partir disso, é preciso segmentar os leads de acordo com seus perfis parecidos. Desta forma você poderá criar os e-mails posteriormente pensando em conteúdos que sejam específicos para cada segmentação.

Comece as campanhas:

Agora é o momento de começar as campanhas e criar os conteúdos. Pense muito bem na hora de criar a estratégia e não tenha medo de testar. É preciso se destacar e entregar conteúdo relevante para que traga resultados.

Acompanhe os resultados:

Sempre analise todos os dados. Quantos cliques? Taxa de abertura? Taxa de conversão? Através disso que você poderá saber se as campanhas estão boas ou se é preciso testar ainda mais para chegar na melhor fórmula.

Como vender mais através do e-mail?

O mais importante que você precisa saber: ter uma lista enorme e enviar vários e-mails não são a fórmula para vender mais. O jeito de vender mais é conhecendo o seu cliente, enviando os conteúdos certos para ele, testando muito e sempre analisando os resultados.

É preciso criar um cronograma de e-mail marketing com base no funil de vendas, por isso a importância da segmentação. Desta forma você envia o tipo de e-mail certo para cada estágio que aquele lead está e assim vai nutrindo de forma adequada. Lembrando que topo de funil é quando o cliente não sabe ainda que tem um problema, você precisa educá-lo. O meio é quando ele já tem a noção e está pesquisando, você precisa ajudá-lo. O fundo é quando ele já sabe o que quer, você só precisa convencê-lo. Saber desse caminho é importante, pois enviar uma promoção de tênis para quem nem sabe que precisa, não vai levar a nada. O esquema é aquecer a pessoa até chegar lá. Com calma, com diálogo e com conteúdo relevante.

Testar também é a alma da venda. Já falamos aqui o quanto é essencial. Porque você só vai entender como chamar a atenção do seu público, tentando formas diferentes de falar com ele. Após muitos testes, você conseguirá saber qual linguagem ele entende melhor e a partir daí fica mais fácil vender.

E por último, mas não menos importante, personalize os seus e-mails. Coloque no assunto o nome do seu lead, fale com ele diretamente. Uma pesquisa feita pelo 9Blog conta que mensagens personalizadas possuem uma taxa de abertura de 29% maior que as outras. O primeiro passo para a venda é abrir o e-mail não é?

Copywriting e e-mail marketing

Um dos pontos importantes também na hora de vender com o e-mail marketing, é estar atento a Copywriting. Que nada mais é do que pensar no que escrever para incentivar a venda e o engajamento. A forma que você fala, vai fazer com o que leitor tome a decisão que você deseja. Por isso:

  • O título deve prometer aquilo que o e-mail traz. Não coloque algo só para chamar atenção.
  • Personalize sempre, coloque pelo nome, fale em primeira pessoa. Faça com que o lead se sinta único.
  • Use uma linguagem simples para que ele entenda o que você está dizendo.
  • Não enrole, seja o mais direto possível. Ficar enrolando na escrita faz com que o potencial cliente tenha preguiça de terminar de ler.
  • Mostre urgência. Assuntos que falam que a oferta vai acabar hoje, chama mais atenção do que simplesmente escrever que “tem oferta”.
  • Deixe os CTA na primeira dobra, muita gente não chega até o final do e-mail.

Alguma dúvida de que o E-mail Marketing vive e viverá por muito mais tempo? Com o plano certo, ferramentas que otimizem seu trabalho e com as dicas acima, é certo que ele poderá ser a sua melhor estratégia de marketing.

Este artigo te ajudou? Deixe seu comentário!